Contenido principal del artículo

Paula Marisa Fortunato Vaz
Instituto Politécnico de Bragança Escola Superior de Educação
http://orcid.org/0000-0001-7678-6781
Biografía
Ana Paula Loução Martins
Universidade do Minho Instituto de Educação Centro de Investigação em Educação
Biografía
Vol. Extr., núm. 11 (2017), XIV Congreso Psicopedagogía. Área 11: NECESIDADES EDUCATIVAS ESPECIALES, Páginas 129-133
DOI: https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.11.2586
Recibido: jul 15, 2017 Aceptado: dic 13, 2017 Publicado: dic 17, 2017
Derechos de autoría Cómo citar

Resumen

Este artigo tem por objetivo contribuir para a clarificação da definição de dificuldades de aprendizagem específicas (DAE) em geral e na leitura, em particular. Adicionalemnte, são apresentados resultados de um estudo quantitativo e é delineada, a partir destes resultados, uma forma de atuação face aos problemas na leitura, onde se inserem as DAE, que toma o nome de Modelo Educativo Preventivo.

Descargas

Los datos de descarga no están aún disponibles.

Detalles del artículo

Referencias

Correia, L.M. (2007). Para uma definição de dificuldades de aprendizagem específicas. Revista Brasileira de Educação Especial, 13(2), 155-172.

Correia, L.M. (2008). Dificuldades de aprendizagem específicas: Contributos para uma definição portuguesa. Porto: Porto Editora.

Correia, L.M. (2013). Inclusão e necessidades educativas especiais: Um guia para educadores e professores. Porto: Porto Editora.

Correia, L.M., & Martins, A.P.L. (1999). Dificuldades de aprendizagem: Que são? Como entendê-las? Porto: Porto Editora.

Cruz, V. (2009). Dificuldades de aprendizagem específicas. Lisboa: Lidel.

Friend, M. (2008). Special education: Contemporary perspectives for school professionals (2 ed.). Boston: Allyn & Bacon.

Fuchs, L.S., & Fuchs, D. (2007). Using cbm for progress monitoring in reading: United States Office of Special Education Program; Student Progress Monitoring.

Fuchs, L.S., & Fuchs, D. (2008). The role of assessment within the rti framework. In D. Fuchs, L. S. Fuchs & S.

Vaughn (Eds.), Response to intervention: A framework for reading educators (pp. 27-49). Newark: International reading association.

Hallahan, D., Lloyd, J., Kauffman, J., Weiss, M., & Martinez, E. (2005). Learning disabilities: Foundations, charateristics, and effective teaching. (3 ed.). Boston: Allyn & Bacon.

Joseph, J., Kimberly, N., & Guinevere, E. (2001). The neurobiological basis of reading. Journal of Learning Disabilities, 34, 566-579.

Lyon, G.R., Shaywitz, S.E., & Shaywitz, B.A. (2003). Defining dyslexia, comorbidity, teachers' knowledge of language and reading. A definition of dyslexia. Annals of Dyslexia, 53, 1-14.

Martins, A.P.L. (2006). Dificuldades de aprendizagem: Compreender o fenómeno a partir de sete estudos de caso. (Tese de Doutoramento não publicada), Universidade do Minho, Braga.

NCLD. (2001). Ld at a glance. Retrieved april 2, 2011, from National Center for Learning Disabilities Web site: http://www.ncld.org

Shaywitz, S. (2008). Vencer a dislexia: Como dar resposta às perturbações da leitura em qualquer fase da vida. Porto: Porto Editora.

Smith, D.D. (2007). Introduction to special education: Making a difference (6 ed.). Boston: Allyn & Bacon.

Vale, A.P., Sucena, A., & Viana, F. (2011). Prevalência da dislexia entre crianças do 1º ciclo do ensino básico falantes do português europeu. Revista Lusófona de Educação, 18, 45-56.

Vaz, P.M.F. (2015). Triagem universal de alunos em risco de apresentarem dificuldades de aprendizagem específicas na leitura: Um estudo quantitativo no 3º ano do 1º ciclo do ensino básico. (Tese de Doutoramento não publicada), Instituto de educação da Universidade do Minho, Braga. Retrieved from http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/38696