Contenido principal del artículo

Darkson F. da Costa
Instituto Federal do Ceará
Brasil
https://orcid.org/0000-0002-8304-0723
Biografía
Rosalide C. de Sousa
Instituto Federal do Ceará
Brasil
https://orcid.org/0000-0002-8059-1159
Biografía
Renata P. M. Vieira
Instituto Federal do Ceará
Brasil
https://orcid.org/0000-0002-1966-7097
Biografía
Francisco R. V. Alves
Instituto Federal do Ceará
Brasil
https://orcid.org/0000-0003-3710-1561
Biografía
Juscileide B. de Castro
Universidade Federal do Ceará
Brasil
https://orcid.org/0000-0002-6530-4860
Biografía
Gilvandenys L. Sales
Instituto Federal do Ceará
Brasil
https://orcid.org/0000-0002-6060-2535
Biografía
Vol. 7 Núm. 2 (2020), Artículos, páginas 104-114
DOI: https://doi.org/10.17979/reipe.2020.7.2.5782
Enviado: nov 1, 2019 Aceptado: jul 31, 2020 Publicado: dic 1, 2020
Derechos de autoría Cómo citar

Resumen

Este trabalho possui o objetivo de apresentar uma sistematização de saberes para uma possível aplicação da gamificação no ensino da Matemática, fundamentado nas etapas do percurso metodológico da Teoria das Situações Didáticas (TSD) como metodologia de ensino. Para tanto, utilizou-se como base de metodologia de pesquisa as duas fases iniciais da Engenharia Didática (ED), referentes às análises preliminares e a priori. Ademais, usou-se como exemplo o assunto específico da extensão da sequência de Padovan para índice inteiro não positivo, com o enfoque em alunos no nível de graduação. Nesse sentido, o ponto central do trabalho não direciona-se para uma análise dos dados de uma aplicação em si, mas da demarcação de elementos representativos que pleiteiam uma sistematização e acumulação de saberes teóricos/científicos, para a formulação de uma proposta didática e metodológica no ensino da Matemática com a interação das estratégias de gamificação, TSD e ED.

Detalles del artículo

Referencias

Almouloud, S. A. (2007). Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: Editora UFPR.

Almouloud, S. A., & Silva, M. J. F. (2012). Engenharia didática: evolução e diversidade Didactic engineering: evolution and diversity. Revemat: Revista Eletrônica de Educação Matemática, 7(2), 22-52. https://doi.org/10.5007/1981-1322.2012v7n2p22

Alves, F. (2015). Gamification: como criar experiências de aprendizagem engajadoras. São Paulo: DVS editora.

Alves, F. R. V., & Borges Neto, H. (2011). A existência da Sequência de Fibonacci no campo dos Inteiros: uma atividade de investigação apoiada nos pressupostos da Sequência Fedathi. Boletim GEPEM, (59), 135-140. http://costalima.ufrrj.br/index.php/gepem/article/view/81/268

Artigue, M. (1995). Ingeniería didáctica. In M. Artigue, R. Douady, L. Moreno, & P. Gómez (Ed.), Ingeniería didáctica en educación matemática: un esquema para la investigación y la innovación en la enseñanza y el aprendizaje de las matemáticas (pp. 33-59). México: Iberoamérica. https://core.ac.uk/reader/12341268

Brousseau, G. (1986). Fondements et méthodes de la didactique des mathématiques. Recherches en Didactique des Mathématiques, 7(2), 33–115. https://revue-rdm.com/1986/fondements-et-methodes-de-la/

Chou, Y. (2015). Actionable gamification: beyond points, badges and leaderboards. Fremont: Octalysis Media.

Csikszentmihalyi, M. (1999). A descoberta do fluxo: a psicologia do envolvimento com a vida cotidiana. Rio de Janeiro: Rocco.

Costa, D. F. da, Monteiro, J. A., Castro, J. B. de, Coutinho Júnior, A. de L., & Sales, G. L. (2019). Strategies for the elaboration of a gamed activity script. Research, Society and Development, 8(11), e188111451. https://doi.org/10.33448/rsd-v8i11.1451

Ferreira, R. de C. (2015). Números mórficos [Dissertação de Mestrado não publicada]. Universidade Federal da Paraíba, Brasil. https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/8040

Kapp, K. M. (2012). Games, gamification, and the quest for learner engagement. T+ D, 66(6), 64-68. https://www.td.org/magazines/td-magazine/games-gamification-and-the-quest-for-learner-engagement

Leal, E. A., Miranda, G. J., & Carmo, C. R. S. (2013). Teoria da autodeterminação: uma análise da motivação dos estudantes do curso de ciências contábeis. Revista Contabilidade & Finanças, 24(62), 162-173. https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000200007

McGonigal, J. (2017). A realidade em jogo. Rio de Janeiro: Editora Best Seller.

Pais, L. C. (2015). Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autêntica.

Ramos, V P. P., & Marques, J. J. P. (2017). Dos jogos educativos à gamificação. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, Extr.(01), 319-323. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.01.3005

Ribeiro Jr., P., Munhoz, R., Comiotto, T., & Oliveira, L. (2017). Do jogo ao game: considerações teóricas e articulações entre game e aprendizagem. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, Extr.(13). https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.13.2301

Seenukul, P. (2015). Matrices which have similar properties to Padovan-Matrix and its generalized relations. SNRU Journal of Science and Technology, 7(2), 90-94. https://ph01.tci-thaijo.org/index.php/snru_journal/article/view/43656

Silva, J. B., Sales, G. L., & Castro, J. B. (2019). Gamificação como estratégia de aprendizagem ativa no ensino de Física. Revista Brasileira de Ensino de Física, 41(4). https://doi.org/10.1590/1806-9126-rbef-2018-0309

Silva, J. B., & Sales, G. L. (2017). Gamificação aplicada no ensino de Física: um estudo de caso no ensino de óptica geométrica. Acta Scientiae, 19(5). http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/view/3174

Silva, J. B., & Sales, G. L. (2018). Um panorama da pesquisa nacional sobre gamificação no ensino de Física. Tecnia, 2(1). http://revistas.ifg.edu.br/tecnia/article/view/172

Sokhuma, K. (2013). Padovan q-matrix and the generalized relations. Applied Mathematical Sciences, 7(56), 2777-2780. https://doi.org/10.12988/ams.2013.13247

Spinadel, V. W., & Buitrago, A. R. (2009). Towards van der Laan’s Plastic Number in the Plane. Journal for Geometry and Graphics, 13(2), 163-175. http://www.heldermann-verlag.de/jgg/jgg13/j13h2spin.pdf

Stewart, I. (1996). Tales of a neglected number. Scientific American, 274(6), 102-103. https://www.jstor.org/stable/24989576

Vieira, R. P. M., & Alves, F. R. V. (2019). A Sequência de Padovan e o número plástico: uma análise prévia e a priori. Research, Society and Development, 8(8), e26881212. https://doi.org/10.33448/rsd-v8i8.1212

Voet, C., & Schoonjans, Y. (2012). Benedictine thought as a catalyst for 20st Century liturgical space. Proceedings of the Second International Conference of the European Architectural History Network (pp. 255-261). https://limo.libis.be/primo-explore/fulldisplay?docid=LIRIAS1683918&context=L&vid=Lirias&search_scope=Lirias&tab=default_tab&lang=en_US