O desafio da formação de adultos e a necessidade do reconhecimento social

  • Zênia Santos Barbosa
  • Joaquim Luís Alcoforado Universidade de Coimbra
  • Simone Cabral Marinho dos Santos Universidade Estadual do Rio Grande do Norte

Resumen

Os discursos educativos ao longo dos últimos anos foram traduzindo a ideia de uma educação contínua, desejavelmente transformativa e emancipatória. Apresentam-se, neste artigo, de revisão bibliográfica, algumas ideias que tendem a reunir um consenso alargado sobre estes desafios, para a construção de políticas públicas que visem uma educação onde cada pessoa possa desenvolver a sua autonomia e responsabilidade com o seu percurso de aprendizagem e de vida. Procura-se, igualmente, refletir sobre a aquisição de saberes e competências, apelando à dispositivos de validação e reconhecimento pessoal e social no âmbito dos processos de desenvolvimento profissional e de (re)construção de profissionalidades.

Referencias

Alcoforado, J. L. M. (2014a). Uma Educação para Todos, ao Longo e em todos os Espaços da Vida: Desafios para a construção de políticas públicas promotoras de uma cidadania planetária crítica e ativa. In M. F. Da Silva. Mundos Distantes, Diálogos Possíveis: A vida em mosaico (pp. 14-34). João Pessoa: Ideia.

Alcoforado, J. L. M. (2014b). Reconhecimento, Validação e Certificação de Saberes Experienciais: Desafios para a formação continuada e as relações de trabalho. Trabalho & Educação (pp.13-30). Belo Horizonte.

Alcoforado, J. L. M. (2012). As Histórias de Vida na Educação e Formação de Adultos: O desafio de promover uma auto(eco)confrontação transformativa e emancipatória. In Pesquisa (Auto)Biográfica, Temas Transversais. Corpos, saúde, cuidados de si e aprendizagens ao longo da vida: desafios (auto)biográfico (pp. 29 – 54). Natal, Porto Alegre, Salvador: EDFURN, ediPUCRS, EDUNEB.

Borges, C. M. F. (1998). O Professor de Educação física e a Construção do Saber. Campinas. São Paulo: Papirus Editora.

Honneth, A. (2003). Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais (34ª Ed.). São Paulo.

Jobert, G. (2003). A profissionalização: entre competência e reconhecimento social. In M. Altet. L. Paquay & P. Perrenoud (Orgs.). A profissionalização dos formadores de professores. Porto Alegre: Artmed Editora.

Lima, L. C. (2016). Revisitação gelpiana da educação permanente: Ambiguidades e erosão política de um conceito. In Investigar em Educação. IIª Série. Número 5.

Pimenta, S. G. (2002). Formação de Professores: identidade e saberes da docência. In Pimenta, S. G. (org). Saberes Pedagógicos e Atividade Docente (pp. 15-34). São Paulo: Cortez.

Tardif, M. (2014). Saberes Docentes e Formação Profissional (17ª Ed.). Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes.

Ricoeur, P. (2004). Percurso do Reconhecimento. São Paulo: Loyola.

Publicados
2017-12-17
Cómo citar
Barbosa, Z., Alcoforado, J. L., & Cabral Marinho dos Santos, S. (2017). O desafio da formação de adultos e a necessidade do reconhecimento social. Revista De Estudios E Investigación En Psicología Y Educación, (14), 163-167. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.14.2618
Sección
XIV Congreso Psicopedagogía. Área 14: TRANSICIONES Y DESARROLLO A LO LARGO DE LA VIDA