Contenido principal del artículo

Joaquim Melro
Instituo de Educação da Universidade de Lisboa/Centro de Formação de Escolas António Sérgio
Portugal
http://orcid.org/0000-0002-9988-1578
Biografía
Margarida César
Université de Neuchâtel
Vol. Extr., núm. 11 (2017) - XIV CIG-PP, XIV Congreso Psicopedagogía. Área 11: NECESIDADES EDUCATIVAS ESPECIALES, páginas 290-301
DOI: https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.11.3039
Enviado: sep 16, 2017 Aceptado: dic 13, 2017 Publicado: dic 17, 2017
Derechos de autoría Cómo citar

Resumen

Na operacionalização de uma educação inclusiva para surdos adultos (EISA), os professores desempenham um papel crucial. Urge capacitá-los para que possam desenvolver práticas inclusivas e interculturais, valorizadoras dos surdos e das culturas em que participam. Assumindo uma abordagem interpretativa e focando-nos nas vozes dos professores, discutimos a complexidade epistemológica, educativa e cultural que configura, para muitos professores de surdos, por em prática os princípios que iluminam a EISA. Muitos episódios revelam a urgência da Escola afirmar os professores como agentes de inclusividade, ultrapassando dificuldades vivenciadas e assumindo a inclusão como elemento-chave do empowerment dos surdos.

Detalles del artículo

Referencias

AAfonso, C. (2008). Formação de professores para a educação bilingue de surdos. Saber (e) Educar, 13, 159-169.

Assembleia da República (AR) (2009). Resolução da Assembleia da República n.º 56/2009. Diário da República, I Série, n.º 146. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM).

Bagga-Gupta, S. (2004). Literacies and deaf education. Stockholm: Myndigheten för Skolutveckling.

Bakhtin, M. (1929/1981). The dialogical imagination (M. Holquist, Ed.) (M. Holquist, & C. Emerson, Trans.). Austin, TX: University of Texas Press. [Original publicado em Russo, em 1929]

Baptista, A. J. (2008). Os surdos na escola. A exclusão pela inclusão. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão.

Borges, I., & César, M. (2012). Eu leio, tu ouves, nós aprendemos: Experiências de aprendizagem matemática e vivências de inclusão de dois estudantes Surdos no ensino regular. Interacções, 8(20), 141-180. URL http://revistas.rcaap.pt/interaccoes/issue/archive

Bueno, S. (2001). Educação inclusiva e escolarização dos surdos. Integração, 23, 37-42.

Camargo, F. (2007). A produção da surdez nos processos de formação docente das políticas inclusivistas. URL http://www.simposioestadopoliticas.ufu.br/imagens/anais/pdf/BC03.pdf

Canen, A., & Xavier, G. (2005). Multiculturalismo, pesquisa e formação de professores: O caso das diretrizes curriculares para a formação docente. Ensaio. Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 13(48), 333-344.

César, M. (2012a). O papel das famílias nos processos de aprendizagem matemática dos alunos: Caminhos para a inclusão ou retratos de formas (subtis) de exclusão?. Interacções, 8(20), 255-292. URL http://revistas.rcaap.pt/ interaccoes/issue/archive

César, M. (2012b). Educação especial: Pequenos passos, alguns retrocessos e muito caminho para andar. Interacções, 8(21), 68-94. URL http://revistas.rcaap.pt/interaccoes/issue/archive

César, M. (2013a). Collaborative work, dialogical self and inter-/intra-empowerment mechanisms: (Re)constructing life trajectories of participation. In M. B. Ligorio, & M. César (Eds.), Interplays between dialogical learning and dialogical self (pp. 151-192). Charlotte, NC: Information Age Publishing (IAP).

César, M. (2013b). Cultural diversity and regulatory dynamics of participation between schools and families. In P. Marsico, K. Komatzu, & A. Iannaccone (Eds.), Crossing boundaries: Intercontextual dynamics between family and school (pp. 35-81). Charlotte, NC: IAP.

César, M. (2014). Inter- and intra-empowerment mechanisms: Contributions to mathematical thinking and achievement. In T. Zittoun, & A. Iannaccone (Eds.), Activities of thinking in social spaces (pp. 167-186). Hauppauge, NY: Nova Science Publishers, Inc.

Clandinin, D. J., & Connelly, F. M. (1998). Personal experience methods. In N. K. Denzin, & Y. S. Lincoln (Eds.), Collecting and interpreting qualitative materials (pp. 150-178). Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Courela, C. & César, M. (2012). Inovação educacional num currículo emancipatório: Um estudo de caso de um jovem adulto. Currículo sem Fronteiras, 12(2), 326- 363.

Denzin, N. (2002). The interpretative process. In A. Haberman, & M. Mieles (Eds.), The qualitative researchers companion (pp. 349-366). Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

European Association for the Education of Adults (EAEA) (2017). Manifesto para a Aprendizagem de Adultos no séc. XXI. Bruxelas: EAEA.

Freire, M. J. (2011) A criança surda e o desenvolvimento da literacia. Lisboa: Instituto Nacional para a Reabilitação (INR).

Hamido, G., & César, M. (2009). Surviving within complexity: A meta-systemic approach to research on social interactions in formal educational scenarios. In K. Kumpulainen, C. Hmelo-Silver, & M. César (Eds.), Investigating classroom interactions: Methodologies in action (pp. 229-262). Rotterdam: Sense Publishers.

Lane, H. (1992). The mask of benevolence: Disabling the Deaf community. New York, NY: Alfred A. Knopf.

Lave, J., & Wenger, E. (1991). Situated learning: Legitimate peripheral participation. Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Marschark, M., Lang, H., & Albertini, J. (2002). Educating deaf students: From research to practice. New York, NY: Oxford University Press.

ME (2006). Decreto-Lei n. º 27/2006. Diário da República, Série I-A, n.º 30. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM)

ME (2008). Decreto-Lei n.º 3/08, de 7 de Janeiro. Diário da República - I Série, n.º 4. Lisboa: INCM.

Melro, J. (1999). Escola inclusiva: Uma análise reflexiva feita em torno de um projecto de inclusão de alunos com necessidades educativas especiais no ensino regular. (Estudo exploratório, apresentado na Universidade de Lisboa, documento policopiado). DEFCUL, Lisboa.

Melro, J. (2003). Escola Inclusiva: Uma história de amor (nem sempre) bem contada (Dissertação de Mestrado). Lisboa: DEFCUL.

Melro, J. (2014a). Do gesto à voz. Um estudo de caso sobre a inclusão de estudantes Surdos no ensino secundário recorrente nocturno (Tese de doutoramento, documento policopiado). Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. URL http://repositorio.ul.pt/handle/10451/15837

Melro, J. (Ed.) (2014a). A aprendizagem da Língua Portuguesa por surdos. Educação Inclusiva, 5(1) . [Dossier temático: A aprendizagem da Língua Portuguesa por surdos, editor, Joaquim Melro]

Melro, J. (2014c). Língua, participação e poder. Educação Inclusiva, 5(1), II–III. [Dossier temático: A aprendizagem da Língua Portuguesa por surdos, Editor Joaquim Melro]

Melro, J. (in press). Formação de professores e educação intercultural de surdos: O caso do Ciclo de Conferências Do gesto à voz: educação de surdos e inclusão. Revista Espaço INES – Periódico Académico-Científico do Instituto Nacional de Surdos. [Aceite a 1 de dezembro 2016]

Melro, J., & César, M. (2002). Escola para todos: Que caminhos? Que trajectos?. In M. Fernandes, J. A. Gonçalves, M. Bolina, T. Salvado, & T. Vitorino (Eds.), O particular e o global no virar do milénio: Cruzar saberes em educação. Actas do 5.º congresso da sociedade portuguesa de ciências da educação (pp. 175-187). Porto: Edições Colibri & SPCE.

Melro, J., & César, M. (2005). Escola inclusiva: Aquém ou além do pleonasmo (educativo)?. In B. D. Silva, & L. S. Almeida (Eds.), Actas do VIII congresso galaico-português de psicopedagogia (pp. 1851-1876). Braga: Universidade do Minho. [CdRom]

Melro, J., & César, M. (2005). Escola inclusiva: Aquém ou além do pleonasmo (educativo)?. In B. Silva, & L. Almeida (Eds.), Actas do VIII congresso galaico-português de psicopedagogia (pp. 1851-1876). Braga: Universidade do Minho. [CdRom]

Melro, J., & César, M. (2009a). Educação inclusiva: Do ser ao agir e do dizer ao sentir. In A. Estrela, L. Marmoz, R. Canário, J. Ferreira, B. Cabrito, N. Alves, P. Figueiredo (Eds.), Actas do XVI Colóquio da AFIRSE. Tutoria e mediação em educação: Novos desafios à investigação educacional. Lisboa: Secção Portuguesa da AFIRSE. [CdRom]

Melro, J., & César, M. (2009b). Educação inclusiva: Acordos nos desacordos da comunidade educativa. In I. Gomes, & R. L. Maia (Eds.), Special education: From theory to practice (pp. 157-168). Porto: Universidade Fernando Pessoa. [CdRom]

Melro, J., & César, M. (2009c). Educação inclusiva: Ideais a cumprir ou desafios a vencer?. In Associação Nacional de Docentes de Educação Especial (Eds.), Actas do 1.º congresso internacional ser professor de educação especial. Almada: PinANDEE. [CdRom]

Melro, J., & César, M. (2010). Educação inclusiva: Desafios à profissionalidade docente e às aprendizagens dos alunos Surdos. Educação inclusiva, 1(2), 10-17.

Melro, J., & César, M. (2012). Abraçando e efectivando a inclusividade: O exemplo da inclusão de alunos Surdos no ensino regular. In I. Sanches, M. Costa, A. Mota, & Á. Santos (Eds.), Para uma educação inclusiva: Dos conceitos às práticas (vol. I, pp. 255-272). Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas.

Melro, J., & César, M. (2013). Educação inclusiva e equidade: Um estudo de caso com adultos surdos do ensino secundário recorrente nocturno. In L. Lima-Rodrigues & D. Rodrigues (Eds.), Atas do III Congresso Internacional Educação Inclusiva e Equidade (Parte II, pp. 550-567). Almada: Pro-Inclusão: Associação Nacional de Docentes de Educação Especial (Pin-ANDEE).

Melro, J. & César (2014). Inclusão de estudantes adultos surdos no ensino recorrente nocturno: uma (segunda) oportunidade para quem. Interacções,33, 128-162. URL http://www.eses.pt/interaccoes

Melro, J. & César, M. (2016). Inclusão e equidade na educação de surdos adultos. Journal of Research in Special Educational Needs, 16, 614–618.

Stake, R. (1995/2005). Investigación con estudio de casos. Madrid: Morata. [Original publicado em Inglês, em 1995].

Vygotsky, L. (1932/1978a). Mind in society: The development of higher psychological processes (M. Cole, V. John-Steiner, S. Scribner, & E. Souberman, Eds.), Cambridge, MA: Harvard University Press. [Original publicado em russo, em 1932]. URL http://people.ucsc.edu/~gwells/Files/Courses_Folder/documents/VygotskyHighe rMF.pdf

World Federation of the Deaf (WFD) (2013). Visions and goals for access to adult education for deaf people. Helsinki: WDF.