Contido principal do artigo

José Antonio Afonso
Instituto de Educación (IE)/Centro de Investigación en Educación (CIEd) - Universidade do Miño
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-7061-306X
Eva Baptista
CITCEM- Centro de investigación Transdisciplinar Cultura, Espazo e Memoria
Portugal
https://orcid.org/0000-0001-6880-9656
Ana Vaz
Concello de Vila Nova de Gaia
Portugal
Vol. 23 (2019), Monografía. Municipios e educación, páxinas 183-210
DOI https://doi.org/10.17979/srgphe.2019.23.0.5889
Recibido: Dec 25, 2019 Publicado: Dec 25, 2019
Copyright Como citar

Resumo

A "escola", en Vila Nova de Gaia, constitúe unha marca fortemente identitária nas comunidades, testificada non só polos memoriais evocativos e estatuas abundantes como, tamén, pola toponimia relacionada coas institucións escolares, profesores, filántropos e outros axentes sociais, esparexida por todo o territorio e, obviamente, materializada en edificios con funcións educativas.
Na tentativa de contribuír ao impulso da creación dunha estrutura que permita a aprendizaxe cognitiva e experimental do diverso pasado histórico educativo gaiense, esta investigación, que cruza a investigación documental de arquivo e hemerográfica, co estudo de campo, levantamento e sistematización tipológica, ten por obxectivo trazar unha panorámica dinámica e descritiva do patrimonio edificado de Vila Nova de Gaia, ata a materialización dos proxectos-tipo de escolas regionalizadas, na década dos anos trinta do século XX.

Descargas

Os datos de descarga non están aínda dispoñibles.

Detalles do artigo

Citas

Amaral, Anabela. Vivências Educativas da Tuberculose no Sanatório Marítimo do Norte e Clínica Heliântia (1917‑1955) (Dissertação de mestrado, Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação – Universidade do Porto, 2007).

Amaral, Anabela e Felgueiras, Margarida L. “Educação no Sanatório” ,Educação, Sociedade & Cultura 30 (2010): 75-93.

Aurell, Jaume. “Memòria, història i identitat: el debat teòric”, IDEES. Revista de temes contemporanis - Dossier: Història, memòria i identitat, 28-29 - gener/juny (2006): 65-79.

Baptista, Eva. “A Educação em Vila Nova de Gaia (1880-1930): Projeto e balanço do estudo doutoral”, A História da Educação em Vila Nova de Gaia, organização de Cláudia Ribeiro e Francisco M. Araújo. Porto: CITCEM/ FLUP, 2017.

Baptista, Eva. “O Clubismo em Vila Nova de Gaia, nas últimas décadas do século XIX e primeiras do século XX: intenção e ação educativas”, COLUBHE – Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação – Investigar, Intervir e Preservar. Caminhos de História da Educação Luso-Brasileira: [atas] Porto: Flup, CITCEM-Centro de Investigação Interdisciplinar Cultura Espaço e Memória, 2016. Disponível em http://web3.letras.up.pt/colubhe/actas/eixo4.pdf.

Baptista, Eva. Associação das Creches de Santa Marinha. Espaço de Modernidade Educativa. Vila Nova de Gaia: Associação das Creches de Santa Marinha/CITCEM, 2018.

Braga da Costa, Virgília. “A urbanização da Quinta do Cabo-Mor e a construção da Escola Industrial e Comercial de Vila Nova de Gaia, no Estado Novo. Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia, 77, vol. 12 (2013): 42-53.

Breves Apontamentos Estatísticos nos Serviços Municipaes nos anos de 1905 e 1906. Gaya: Typ. de Francisco Martins Barboza, 1907.

Campos, Ernesto. História da Educação. Porto: Escola Superior de Educação de Santa Maria, 2001.

Candeias Martins, Ernesto. “A criança abandonada. Estudo histórico-educativo da Monarquia à 1.ª República”, Educação Unisinos, 10, vol.6 (2002): 176-198.

Candeias Martins, Ernesto. “Ideário da Escola Pública Portuguesa entre os Séculos XIX e XX”, Montagem,10 (2008).

Cosme, João. “As preocupações higio-sanitárias em Portugal (2.ª metade do século XIX e princípio do XX”, Revista da Faculdade de Letras. História, III série, vol.7 (2006): 181-195.

“Escola de Cabanões/ Avintes”. Occidente. Revista Illustrada de Portugal e do Estrangeiro, 171 (1883): 211-213.

Fernandes, Rogério. Os Caminhos do ABC. Sociedade Portuguesa e o Ensino das Primeiras Letras. Porto: Porto Editora, 1994.

Filho, Sílvio Pélico. História da Instrução Popular em Portugal. Coimbra: “Lvmen” Empresa Internacional Editora, 1923.

Giampiero, Aloi. Scuole.Schools. Milan: Hoepli Editore, 1960.

Guimarães, Gonçalves; Veludo Coelho, Sérgio e Mota, Deolinda. Roteiro Garretiano de Vila Nova de Gaia. Vila Nova de Gaia: Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, 1999.

Leão, Manuel. Padre Luís uma identidade. Vila Nova de Gaia: Fundação Padre Leão, 2007.

Leite, António; Afonso, José António. “A escola do padre Luís – um subsídio para o seu estudo”, Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia, 54, vol. 9 (2002a): 56-63.

Leite, António e Afonso, José António. “A escola do padre Luís. Um subsídio para o se estudo (1912-1958)”, Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia, 55, vol. 9 (2002b): 60-64;

Lopes Cardoso, Miguel. “Colégio de Gaia – 50 anos ao serviço da comunidade”, Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia, 27, vol. 2 (1984).

Lopes Gondim, Innocencio Osorio. Luz natural e artificial das escolas. Dissertação inaugural. Apresentada à Escola Médico Cirúrgica do Porto. Porto: Typografia Ocidental, (1887), 29-58.

Loyer, François apud Galvão de Carvalho, Carla Andreia. A evolução da arquitectura escolar portuguesa: as escolas primárias desde finais do século XIX até à contemporaneidade (Tese de Doutoramento, 1993) Lisboa: Universidade Lusíada, 35. Disponível em http://hdl.handle.net/11067/488.

Macedo Júnior, Diogo. “Breves considerações Económico-Agrícolas de Vila Nova de Gaia” [1863], Boletim da Associação Cultural Amigos de Gaia, 11 (1981)

Magalhães, Justino. “O Município Pedagógico e a escrita do local. Centenário da Reforma Republicana da Administração Local”, Interacções, 28 (2014): 14-15.

Mogarro, Maria João; Gonçalves, Fernanda; Casimiro, Jorge e Oliveira, Inês. “Inventário e digitalização do Património Museológico da Educação – Um Projeto de Preservação e Valorização do Património Educativo”, História da Educação, 30, v. 14,(2010).

Muitos Anos de Escolas. Ensino Primário-1941. Lisboa: Ministério da Educação – Direção-Geral de Administração Escolar, 1990.

Pintassilgo, Joaquim. “Reformismo republicano e inovação pedagógica: a difusão do Ensino Intuitivo”. Em O Homem vale, sobretudo, pela educação que possui: Revisitando a primeira reforma republicana do ensino infantil, primário e normal, organização de Áurea Adão et al .Lisboa: Instituto da Educação da Universidade de Lisboa, 2012.

Proença, Maria Cândida. Educar. Educação para Todos. Ensino na I República. Centenário da República 1910-2010. Lisboa: Parquescolar, 2011.

Santos, Licínio. Cultura e Lazer Operários em Gaia, entre o final da Monarquia e o início da República (1893-1914). Vila Nova de Gaia: Amigos do Solar Condes de Resende-Confraria Queirosiana/ Edições Afrontamento, 2017.

Santos, V. N. Vila dos Carvalhos. Contributo para uma caracterização. Pedroso: ACICCAJornal dos Carvalhos, s.d., 23.

Silva, António Manuel S. P. e Afonso, José António. «A rede escolar protestante em Vila Nova de Gaia (1868-1923): uma panorâmica geral», A História da Educação em Vila Nova de Gaia, organização de Cláudia Ribeiro e Francisco M. Araújo. Porto: CITCEM/ FLUP, 2017), 25-62.

Silva, António. Torne: Um lugar na História 1868-2018. Vila Nova de Gaia: Igreja Lusitana Católica, Apostólica, Evangélica, 2018.

Teixeira, Fátima. Companhia de Fiação de Crestuma. Do fio ao pavio. Vila Nova de Gaia: Amigos do Solar Condes de Resende-Confraria Queirosiana/ Edições Afrontamento, 2017.

Fontes documentais

Acervo documental Convento Corpus Christi - Estatutos do Instituto Feminino de Educação e Regeneração, 1928.

Acervo Documental da Escola do Palheirinho/Avintes - Nº de escolas oficiaes, segundo a deliberação da Comissão Executiva da Camara, de 11 de Outubro de 1917 (referidoa janeiro de 1917).

Arquivo Distrital do Porto, Fundo do Governo Civil, Maço 604, Concelho de Gaia - Mapa estatístico do número de escolas régias e particulares de Ensino Primário e Secundário existentes neste concelho em 31 de julho de 1848.

Arquivo Municipal Sophia de Mello Breyner/ Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia - Licença para construir uma casa para instalação de centro republicano democrático e escola noturna, 1914.