Contido principal do artigo

Luís Alberto Marques Alves
Facultade de Letras da Univesidade do Porto
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-7242-9880
Francisco Digo Mota Soares Pereira
Facultade de letras da universidade de Porto
Portugal
https://orcid.org/0000-0002-0505-9138
Vol. 23 (2019), Monografía. Municipios e educación, páxinas 113-132
DOI https://doi.org/10.17979/srgphe.2019.23.0.5882
Recibido: Dec 23, 2019 Publicado: Dec 23, 2019
Copyright Como citar

Resumo

 O presente artigo busca sintetizar un conxunto de ideas que foron desenvolvidas por diversos autores, en torno ao xurdimiento da hixiene escolar e das políticas educativo-sanitarias en Portugal. Tomando o período da 1ª República como referencia, este artigo busca esclarecer a realidade que potenciou o nacemento do movemento hixienista, así como a súa apropiación por parte do discurso republicano. Preténdese  percibir igualmente cal foi o papel asumido polo poder municipal no contexto de repartición de responsabilidades no campo educativo, tomando como exemplo a acción da Cámara Municipal do Porto no período comprendido entre 1910 e 1926.


 


 

Descargas

Os datos de descarga non están aínda dispoñibles.

Detalles do artigo

Citas

Almeida, Maria Antónia. Ricardo Jorge. Lisboa: ISCTE, 2011.

Alves, Jorge e Carneiro, Marinha. Saúde Pública e Política: Do “Código Sanitário” ao Regulamento Geral de 1901. Porto: CITCEM, 2014.

Alves, Jorge. Ricardo Jorge e a Saúde Pública em Portugal. Um “Apostolado Sanitário”. Porto: CITCEM, 2008.

Baptista, Eva. Espaço de Modernidade Educativa: Associação de Creches de Santa Marinha. Vila Nova de Gaia: CITCEM, 2018.

Carvalho, Luís Miguel e Fernandes, Ana Lúcia. “O Conhecimento sobre a Educação e os Problemas Nacionais: Os Congressos Pedagógicos da Liga Nacional de Instrução (Lisboa, 1908-1914)”. Cadernos Prestige, 20, 2004.

Costa Sacadura. Esboço de Reforma dos Serviços de Sanidade Escolar.Coimbra: Imprensa da Universidade, 1917; citado em Martins, Basilio. Políticas Educativo-Sanitárias em Portugal. Iniciativas da Câmara Municipal do Porto no Período da 1ª República (1910-1926). Dissertação de Mestrado em História da Educação. Porto: FLUP, 2007.

Jorge, Ricardo. Saneamento do Porto. Porto, 1888.

Magalhães, Justino. Do Portugal das Luzes ao Portugal Democrático. Atlas-Repertório dos Municípios na Educação. Lisboa: Instituto da Educação da Universidade de Lisboa, 2015.

Manique, Carlos. Escolas Belas ou Espaços Sãos? Uma análise histórica da arquitectura escolar portuguesa (1860-1920). Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 2002.

Martins, Basilio. Políticas Educativo-Sanitárias em Portugal. Iniciativas da Câmara Municipal do Porto no Período da 1ª República (1910-1926). Dissertação de Mestrado em História da Educação. Porto: FLUP, 2007.

Pintassilgo, Joaquim. República e Formação de Cidadãos: a educação cívica nas escolas primárias da Primeira República Portuguesa. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

Rocha, Filipe. Fins e Objetivos do Sistema Escolar Português. 1º Período de 1820 a 1926. Aveiro: Paisagem Editora, 1984.

Santos, Maria José. O Asilo de S. João do Porto: Entre a Nova Pedagogia e o Higienismo (1890-1926). Porto: CITCEM, 2014.

Trevisan, Alexandra e Matias, Isabel. Higiene e Salubridade no Porto (1850-1930) Porto, CESAP/ESAP, 2002.