Contido principal do artigo

Maria Teresa Santos Cunha
Universidade do Estado de Santa Catarina
Brasil
https://orcid.org/0000-0001-6200-6713
Cristiani Bereta da Silva
Universidade do Estado de Santa Catarina
Brasil
https://orcid.org/0000-0003-2304-0307
Vol. 24 (2020), Monografía, páxinas 127-159
DOI https://doi.org/10.17979/srgphe.2020.24.0.7131
Recibido: Nov 11, 2020 Publicado: Dec 1, 2020
Copyright Como citar

Resumo

Este artigo analiza dous xornais escolares producidos por estudantes de primaria, que circularon entre as décadas de 1940 e 1960. Para a discusión proposta estableceuse un recorte temporal diferente, seleccionándose só os números publicados entre os anos de 1942 a 1952, en razón da periodicidade dos exemplares dispoñibles nos arquivos. Neses números a mirada dirixiuse para textos e notas sobre cifras nacionais, datas conmemorativas e outros temas do cotián escolar pensados para a construción de valores cívicos e patrióticos, asociados, por veces, ao pacifismo, en razón da participación de Brasil na Segunda Guerra. Esas cuestións aparecían principalmente por medio das accións emprendidas polas asociacións auxiliares da escola, como, por exemplo, a Liga Prol-Lingua Nacional, a Liga da Bondade e o Pelotón de Saúde. Prácticas nacionalistas de forte chamamento cívico e patriótico eran as máis privilexiadas en diferentes textos asinados polos estudantes. Eses xornais, represesntativos da cultura material escolar, son capaces de informar sobre os vestixios de prácticas, costumes e rituais que reforzaban unha determinada cultura escolar, conformando así memorias sobre o período.

Detalles do artigo

Citas

LEGISLAÇÃO

Brasil, Decreto nº 19.890, de 18 de Abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário, 1931, https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-19890-18-abril-1931-504631-publicacaooriginal-141245-pe.html. (Consultado em 13 de janeiro de 2019).

Brasil, Decreto-Lei nº 4.244, de 9 de Abril de 1942. Lei orgânica do ensino secundário, 1942, http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1937-1946/Del4244.htm. (Consultado em 13 de janeiro de 2019).

Brasil, Decreto-Lei nº 8.529, de 2 de janeiro de 1946. Lei orgânica do ensino primário, 1946, https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8529-2-janeiro-1946-458442 publicacaooriginal-1-pe.html. (Consultado em 13 de janeiro de 2019).

Brasil, Decreto-Lei nº 8.530, de 2 de janeiro de 1946. Lei orgânica do ensino normal, 1946,

https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8530-2-janeiro-1946-458443-publicacaooriginal-1-pe.html. (Consultado em 13 de janeiro de 2019).

Brasil, Lei no 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências, 1971, http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ leis/L5692.htm. (Consultado em 13 de janeiro de 2019).

Brasil, Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, 1996, http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. (Consultado em 13 de janeiro de 2019).

Santa Catarina, Decreto-Lei Estadual nº 2.991, de 28 de abril de 1944. Estabelece instruções para as associações auxiliares da escola nos estabelecimentos de ensino estaduais, municipais e particulares. Florianópolis: Imprensa Oficial do Estado, 1944.

Santa Catarina, Decreto-Lei Estadual nº 298, de 18 de novembro de 1946. Lei Orgânica do Ensino Primário no Estado de Santa Catarina) Legislação Estadual: decretos-leis, decretos, resoluções e portarias, 1946. Acervo Apesc.

Santa Catarina, Decreto nº 3.735, de 17 de dezembro de 1946. Regulamento para os estabelecimentos de ensino primário no Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Imprensa Oficial do Estado, 1946.

PERIÓDICOS CONSULTADOS

Jornal O Estado, Florianópolis, nº. 10134, 10 de dezembro de 1947.

Jornal A Criança Brasileira. Grupo Escolar Lauro Müller. Exemplares de 1942, 1943, 1944, 1945, 1946, 1947, 1948, 1949, 1950, 1951, 1952.

Jornal Pétalas Infantil. (Manuscrito). Colégio Coração de Jesus. Exemplares de 1945,1946, 1947, 1948, 1950, 1951 e 1952.

Revista Pétalas. Colégio Coração de Jesus. Florianópolis: Tipografia dos Artífices,1933.

BIBLIOGRAFIA

Artières, Philippe. “Arquivar a própria vida”. Estudos Históricos 11, n°. 21 (1998), http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2061/1200. (Consultado em 27 de abril de 2018).

Bastos, Maria Helena Camara. “As revistas pedagógicas e a atualização do professor: a Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1951-1992).” En Educação em Revista: a imprensa periódica e a História da Educação, organizado por Denice Barbara Catani e Maria Helena Camara Bastos, 47-76. São Paulo: Escrituras, 2002.

Bastos, Maria Helena Camara. “Impressos e cultura escolar. Percursos da pesquisa sobre a imprensa estudantil no Brasil”. En La prensa de los escolares y estudiantes. Su contribución al patrimonio histórico educativo, organizado por José Maria Hernández Díaz, 21-43. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, 2015.

Carvalho, Marta. Molde nacional e fôrma cívica: higiene, moral e trabalho no projeto da Associação Brasileira de Educação. (1924-1931). São Paulo: EDUSF,1998.

Castillo Gomes, António, coord., 2002. Historia de la cultura escrita. Del Próximo Oriente Antiguo a la sociedad informatizada. Madrid: Ediciones Trea.

Castillo Gomes, António e Sierra Blas, Verónica, coord., 2008. Mis primeros pasos. Alfabetización, escuela y usos cotidianos de la escritura (siglos XIX y XX). Madrid: Ediciones Trea.

Chartier, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1989.

Cunha, Maria Teresa Santos. “Mensageiro de sociabilidades: estudo sobre um jornal escolar infantil (Florianópolis, 1946-1952)”. En História, cidade e sociabilidade, organizado por Antonio Morga, 235-250. Itajaí/SC: Casa Aberta, 2011.

Cunha, Maria Teresa Santos. “Das mãos para as mentes. Protocolos de civilidade em um jornal escolar/SC (1945-1952)”. Educação em Revista, 49 (jul./set. 2013): 139-159. https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000300009. (Consultado em 01 de março de 2019).

Cunha, Maria Teresa Santos. “Folhas voláteis, papéis manuscritos: o pelotão de saúde no jornal infantil Pétalas (Colégio Coração de Jesus - Florianópolis/SC, 1945-1952)”. História da Educação. (Online) Porto Alegre, 40 (mai./ago. 2013): 251-266. https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/38096 (Consultado em 15 de março de 2019).

Escolano Benito, Agustín. A escola como cultura: experiência, memória e arqueologia. Tradução e revisão técnica de Heloisa Helena Pimenta Rocha and Vera Lucia Gaspar da Silva. Campinas/SP: Editora Alínea, 2017.

FGV. CPDOC. Glossário Era Vargas. https://cpdoc.fgv.br/producao/dossies/AEraVargas1/glossario/quinta_coluna. (Consultado em 21-01-2020).

Fáveri, Marlene de. Memórias de uma (outra) guerra: cotidiano e medo durante a Segunda Guerra em Santa Catarina. Itajaí: Univali; Florianópolis: UFSC, 2004.

Fiori, Neide Almeida. Aspectos da evolução do ensino público: ensino público e política de assimilação cultural no Estado de Santa Catarina nos períodos Imperial e Republicano. Florianópolis/SC: EdUFSC/Secretaria da Educação do Estado de Santa Catarina, 1991.

Galvão, Ana Maria de Oliveira, coord. História da Cultura Escrita: séculos XIX e XX. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2007.

Heinz, Flávio. “O historiador e as elites: à guisa de introdução”. En Por outra história das elites, organizado por Flávio Heinz, 7-16. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

Lawn, Martin. “Uma pedagogia para o público: o lugar de objetos, observação, produção mecânica e armários-museus”. Linhas, 26, (2013): 222–243, http://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723814262013222. (Consultado em 14 de março de 2020).

Luca, Tania Regina de. “História dos, nos e por meio dos periódicos”. En Fontes históricas, organizado por Carla Bassanezi Pinsky, 111-202. São Paulo: Contexto, 2006.

Mignot, Ana Chrystina Venâncio, coord. Cadernos à vista. Escola, memória e cultura escrita. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2008.

Peres, Eliane. “O ensino da Linguagem na escola primária gaúcha no período da renovação pedagógica (1930-1950”. En Livros escolares e ensino da leitura e da escrita no Brasil (séculos XIX - XX), organizado por Eliane Peres e Elomar Tambara, 75- 94. Pelotas: Seiva, 2003.

Ramos, Francisco Régis Lopes. “As utilidades do passado na biografia dos objetos”. En Futuro do Pretérito: Escrita da História e História do Museu, organizado por Manoel Luiz Salgado Guimarães e Francisco Régis Lopes Ramos, 50-77. Fortaleza/ CE: Instituto Frei Tito Alencar/Expressão Gráfica Editora, 2010.

Ricoeur, Paul. Tempo e narrativa [volume 3, O tempo Narrado]. Tradução de Claudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

Rocha, Heloisa Helena Pimenta. “Prescrevendo regras de bem viver: cultura escolar e racionalidade científica”. Cadernos CEDES 20, n°. 52 (2000), http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622000000300005. (Consultado em 10 de maio de 2019).

Rocha, Heloisa Helena Pimenta. “História da Cultura Material Escolar: um balanço inicial”. En Culturas escolares, saberes e práticas educativas. Itinerários Históricos, organizado por Marcus Levy Bencostta, 163-191. São Paulo: Cortez, 2008.

Silva, Cristiani Bereta da. “Cultura escolar e cultura política: projeto de nacionalização e o jornal escolar A Criança Brasileira (Santa Catarina, 1942-1945)”. História da Educação 17, nº. 40 (2013), 175-195. http://dx.doi.org/10.1590/S2236-34592013000200009. (Consultado em 10 de maio de 2019).

Silva, Cristiani Bereta da. “História do Brasil como saber escolar nos livros didáticos dos exames de admissão ao ginásio (1931-1971)”. Revista de História e Historiografia da Educação, 2, nº.5 (2018), 114-141. https://revistas.ufpr.br/rhhe/article/view/57643. (Consultado em 21 de janeiro de 2019).

Souza, Rosa Fátima de. Templos de civilização: a implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: UNESP, 1998.

Souza, Rosa Fátima de. “História da Cultura Material Escolar: um balanço inicial”. En Culturas Escolares, Saberes e Práticas Educativas, organizado por Marcus Levy Bencostta, 163-189. São Paulo: Cortez, 2007.

Vidal, Diana Gonçalves e Gvirtz, Silvina. “O ensino da escrita e a conformação da modernidade escolar: Brasil e Argentina, 1880-1940”. Revista Brasileira de Educação 8 (1998): 13-30.

Vinão Frago, Antonio. Leer y escribir. Historia de dos practicas culturales. México: Voces y Vuelos, 2002.