A formação dos profissionais que atuam com educação ambiental nosórgãos públicos do Extremo Oeste Paulista/Brasil

Angélica Góis Morales, Izabel Cristina Gil, Cristina Hashimoto

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a formação em educação ambiental dos profissionais que atuam nessa área de gestão e educação ambiental nos órgãos públicos relacionados com essa temática e como eles desenvolvem programas, projetos e/ou práticas socioeducativas ambientais no processo de gestão ambiental. Para o estabelecimento desta problemática, a investigação (de cunho cualitativo) delimitou-se a uma área territorial localizada no extremo oeste do Estado de São Paulo/Brasil, denominada, nas políticas ambientais estaduais, como Espigão Divisor Peixe-Aguapeí. Foram consideradas as prefeituras municipais e os órgãos públicos estaduais de referencia ambiental em quatro municipios sede de microrregiões administrativas, sendo eles Marília, Tupã, Adamantina e Dracena, constituindo, os denominados multicasos. As investigações permitiram concluir que, em sua maioria, os órgãos pesquisados não apresentam uma educação ambiental como processo educativo permanente e não buscam a emancipação dos cidadãos e seus colaboradores. Há varias práticas ambientais ainda adotadas de forma pontuais e estanques, perdendo a essência conceitual da educação ambiental. A educação ambiental no processo de gerenciamento dos órgãos ambientais, em vários casos, está relacionada a um ou outro Professional que temu m olhar mais voltado para a questão ambiental, mais personificando do que institucionalizando a prática empreendida.


Palabras clave


Educação ambiental; gestão ambiental; órgãos públicos; formação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.17979/ams.2014.1.17.1567

##plugins.generic.referral.referrals##

  • ##plugins.generic.referral.all.empty##