A educação ambiental como fator de desenvolvimento: um olhar ao panorama dos saberes tradicionais da comunidade de Ekovongo-Bié/Angola

José Capitango

Resumo


À semelhança de outras comunidades autóctones de Angola, Ekovongo e as comunidades ovimbundu em geral dedicam-se tradicionalmente à agricultura; sendo uma comunidade agrária, um dos grandes problemas que afetam o seu desenvolvimento nas últimas décadas prende-se com o baixo rendimento que a terra vem evidenciando em termos de resultados da atividade produtiva, como consequência de queimadas e derrube de grandes extensões de florestas para a produção de carvão vegetal que se destina a comercialização na cidade. Como parte de um estudo realizado em uma comunidade rural sobre Educação e Desenvolvimento nas Comunidades Ovimbundu de Angola: Estudo Etnográfico da Comunidade de Ombala Ekovongo, o presente trabalho dedica-se à problemática ambiental. Pretendeu-se, por um lado, esmiuçar alguns fundamentos teórico-conceituais da relação homem-natureza para a compreensão da atual crise ambiental; problematizar o modelo neoliberal de desenvolvimento, que na sua globalidade leva as pessoas a enveredarem por ações agressivas contra o meio ambiente em busca de meios de sobrevivência, e a exploração excessiva de recursos naturais pelas empresas em nome do crescimento económico e consumo. Por outro, analisar as representações sociais dos habitantes da comunidade de Ekovongo em torno da problemática ambiental, para identificar os saberes tradicionais à respeito da relação que existe entre humanos e outros seres da natureza enquanto fator de desenvolvimento.

Palabras clave


Educação Ambiental; Saberes Tradicionais

Texto completo:

PDF

Citas


ALMEIDA, José Correia de (2005) Concepções Ambientalistas dos Professores: suas Implicações em Educação Ambiental. Tese de Doutoramento. Disponível em

http://www.repositorioaberto.uab.pt/handle/10400.2/2484.

BALANDIER, Georges (2006) Modernidad y Poder: el desvio antropológico. São Paulo. Editora Senac.

FREITAS, Leda Maria Duval de (2012) A Formulação de um Conceito Operacional em Educação Ambiental a partir de um contexto de múltiplas Abordagens. Rio Grande. Revista brasileira de Educação Ambiental Nº 7, 80-91.

GOETZ, Judith P. y LeCOMPTE, Margaret D. (1988) Etnografia y diseño cualitativo. En investigación educativa. Madrid. Morata S.A.

GONÇALVES, Fernando; PEREIRA, Ruth; AZEITEIRO, Ulisses Manuel de Miranda, PEREIRA, Mário Jorge Verde (2007) Actividades Práticas em Ciências e Educação Ambiental. Lisboa. Instituto Piaget.

GUIMARÃES, R. (2001) A Ética da Sustentabilidade e a Formulação de Políticas de Desenvolvimento. Em VIANA, G. et al. (org.) O Desafio da Sustentabilidade. São Paulo. Fundação Perseu Abramo.

MARCOS, Alfredo (2001) Ética Ambiental.Valladolid. Universidad de Valladolid. Disponível em http://www.fyl.uva.es

MUÑOZ, Maria Carmen González (1996) Principales Tendencias y Modelos de la Educación tal en el Sistema Escolar. Revista Iberoamericana de Educación. Educación Ambiental: Teoria y prática Nº 11, 13-74.

ROLLA, Fragner Guilherme (2006) Ética Ambiental: principais perspectivas Teóricas E a relação homem-natureza. Disponível em http://www3.pucrs.br

TAYLOR, Paul (1989) Animal Rights and Human Obligations. New Jersey. Prentice Hall.

VIZZER, Moema L.; OVALLES, Omar (org.) (1994) Manual Latino-Americano de Educação Ambiental. São Paulo. Gaia.




DOI: https://doi.org/10.17979/ams.2015.2.20.1696

##plugins.generic.referral.referrals##

  • ##plugins.generic.referral.all.empty##