[1]
V. Vaqueiro, “Unha tríade indisolúbel: neofalantismo, identidade e calidade da lingua”, Rev Gal Filo, vol. 22, pp. 107-136, Dec. 2021.