Propuesta de una ruta de turismo literario en Salvador-Bahía (Brasil) con base en la obra de Jorge Amado "Bahia de todos los santos-guía de las calles y misterios"

  • José Veiga Viñal Junior Universidade do Estado da Bahía (UNEB) - Departamento de Ciências Humanas - Colegiado de Turismo e Hotelaria http://orcid.org/0000-0001-5009-1551
  • Ana Cláudia Barreto Otero
  • Gabriela Silva de Jesus
  • Jane Santana Lopes
Palabras clave: turismo literario, libro, Jorge Amado, Propuesta de ruta turística, Salvador

Resumen

En este artículo se busca apuntar las potencialidades del turismo literario, correlacionando las cuestiones que conectan turismo y literatura. Los escritos aquí expuestos son fruto de una investigación desarrollada en la disciplina de Trabajo de Conclusión de Curso y tiene como objetivo presentar la propuesta de un itinerario turístico en la ciudad de Salvador-Bahía-Brasil con base en la obra "Bahía de todos los santos - guía de las" las calles y los misterios "del escritor Jorge Amado. Para ello, se utilizó una investigación de base bibliográfica y documental; el resultado anterior atravesó la presentación de la propuesta del itinerario y entre las conclusiones previas se infiere que la ciudad de Salvador tiene un gran potencial para el desarrollo del turismo literario teniendo como presupuesto su riqueza cultural y las importantes obras de la literatura brasileña que se ambientan en dicha ciudad.

Referencias

Amado, J. (1986). Bahia de todos os Santos: guia de ruas e mistérios de Salvador. São Paulo, Companhia das Letras.

Baleiro, R.; Quinteiro, S.. (2015). Da Cartografia do Danúbio à Construção de um itinerário Turístico: Uma Leitura de Danúbio de Claudio Magris. Lit e Tour – Ensaios sobre Turismo e Literatura. Disponível em: https://www.academia.edu/9507910/Da_cartografia_do_Dan%C3%BAbio_%C3%A0_constru%C3%A7%C3%A3o_de_um_itiner%C3%A1rio_tur%C3%ADstico_Uma_leitura_de_Dan%C3%BAbio_de_Claudio_Magris. Acesso em: 25 jun. 2018.

Baleiro, R.; Quinteiro, S.. (2017). Construção de um passeio literário: Cândido Guerreiro e a aldeia de Alte. Loulé: Câmara Municipal de Loulé.

(2014). Uma personagem à procura da literatura: A ficção literária e a prática turística. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/270791839_Uma_personagem_a_procura_da_literatura_A_ficcao_literaria_e_a_pratica_turistica. Acesso em: 30 jun. 2018.

Barberena, R.A. (2013). A cidade desejada e sublimada por Jorge Amado: os lugares imaginados em Bahia de Todos os Santos: guia de ruas e mistérios de Salvador. Est. Lit. Bras. Contemp., Brasília, n. 42, jul./dez, p. 103-111,. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/elbc/n42/06.pdf. Acesso em: 25 Jun. 2018.

BRASIL. (2008) Constituição da República Federativa do Brasil: Texto promulgado em 5 de outubro de1988, com alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nº 192 a 562007 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nº 1 a 6/94. Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas.

BRASIL (2010). Ministério do Turismo. Segmentação do turismo e o mercado. / Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação Geral de segmentação. – Brasília: Ministério do Turismo. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Segmentaxo_do_Mercado_Versxo_Final_IMPRESSxO_.pdf. Acesso em: 02 Jun. 2018

Brown, D. (2003). O código Da Vinci. Tradução de Celina Cavalcante Falck-Cook. Rio de Janeiro: Sextante.

Butler, R. (1980). The concept of tourism area cycle of evolution: implications for management of resources. Canadian Geographer, 24 (1), 5-12.

Ceia, C. (2009). O poder da leitura literária (contra as formas de impoder). ABZ da Leitura-Orientações Teóricas. Disponivel em: http://www.casadaleitura.org/portalbeta/bo/documentos/ot_leitliter_a.pdf Acesso em: 10 Jun. 2018.

Cisne, R.N. (2010). Roteiro turístico, tradição e superação: tempo, espaço, sujeito e (geo)tecnologia como categorias de análise. Dissertação de Mestrado. Universidade de Caxias do Sul.

Coutinho, F.N.; Faria, D.; Faria, S.D. (2016). Turismo Literário: uma análise sobre autenticidade, imagem e imaginário. Albuquerque, revista de história. vol. 8, n. 16. jul.-dez. p. 31-50. Disponível em: http://www.seer.ufms.br/index.php/AlbRHis/article/view/2295/3055. Acesso em: 09 jun. 2018.

Dicionário Online de Português. Roteiro. Disponível em <http://www.dicio.com.br/roteiro/> Acesso em: 02 jun. 2018.

FUNDAÇÃO CASA DE JORGE AMADO. (2009). Catálogo do acervo de documentos / Myriam Fraga, apresentação. Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado, V. 1. Jorge Amado, Produção ativa.

Gil, A.C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo : Atlas. Disponível em: https://ayanrafael.files.wordpress.com/2011/08/gil-a-c-mc3a9todos-e-tc3a9cnicas-de-pesquisa-social.pdf. Acesso em: 02 jun. 2018.

Guerreiro, G. (2005). A cidade imaginada – salvador sob o olhar do turismo. Revista Gestão e Planejamento. Ano 6, Nº 11, Salvador, jan./jun. Disponível em: http://www.revistas.unifacs.br/index.php/rgb/article/view/192/200. Acesso em: 05 jun. 2018.

Henriques, C.; Quinteiro, S. (2011). O Turismo Literário. Olhão sob a perspectiva de João Lúcio. Book of proceedings, v. 1. Algarve: International conference on tourism & management studies.

Herbert, D. (2001). Literary places, tourism and the heritage experience. In: Annals of tourism research, v. 28, n. 2, p. 312-333.

Kohler, A.F.; Durand, J.C. (2007). Turismo Cultural: Conceituação, fontes de crescimento e tendências. Turismo - Visão e Ação - vol. 9 - n.2, maio /ago. p. 185-198

Kohler, André Fontan. (2011). Patrimônio cultural, turismo e gestão pública: exploração turística predatória e desvalorização patrimonial em Igarassu, Brasil PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, 9(2).

Magadán Díaz, M.; Rivas García, J. (2012). Turismo literario. Septem: Oviedo.

Moraes, I.L. (2017). A literatura e seu poder de resgate da totalidade humana. Darandina Revista eletrônica, v. 3, p. 1-8 Disponível em: http://www.ufjf.br/darandina/files/2010/12/5a.-edi%C3%A7%C3%A3o-artigo11.pdf. Acesso em: 10 jun. 2018

MINISTÉRIO DO TURISMO. (2010). Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação-Geral de Segmentação. Turismo Cultural: orientações básicas. 3. ed. Brasília: Ministério do Turismo. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Turismo_Cultural_Versxo_Final_IMPRESSxO_.pdf. Acesso em: 23 jun. 2018.

Nunes, A.C. (2015). Ler para se curar. Revista Planeta. Disponível em: https://www.revistaplaneta.com.br/ler-para-se-curar/ Acesso em: 15 jun. 2018

Sardo, A.N. (2011). Turismo Literário: uma forma de valorização do património e da cultura locais. Revista Egitania Sciencia, v. 2. Disponível em: http://bdigital.ipg.pt/dspace/bitstream/10314/3416/1/4_75_96TURISMO%20LITER%C3%81RIO%20UMA%20FORMA%20DE%20VALORIZA%C3%87%C3%83O%20DO%20PATRIM%C3%93NIO%20E%20DA%20CULTURA%20LOCAIS.pdf. Acesso em: 22 jun. 2018.

Silva, Glaubécia Teixeira da. (2010). Roteiro turístico. Manaus: Centro de Educação Tecnológica do Amazonas.

Simões, Maria de Lourdes Netto. (2004). Literatura, Cultura e Turismo: consumo e cidadania. Revista Espaço Acadêmico, 37. Disponível em: http://www.uesc.br/icer/artigos/tica3.pdf. Acesso em: 29 jun. 2018.

Simões, Maria de Lourdes Netto. (2008). Da literatura ao turismo: considerações no âmbito da América Latina. Revista Ipotesi, v. 12, n. 1, p. 135–144, jan/jul. Disponível em: http://www.uesc.br/icer/artigos/daliteraturaaoturismo_ticasimoes.pdf. Acesso em: 29 jun. 2018.

Smith, Yvonne. (2012). Literary Tourism as a Developing Genre: South Africa’s Potential. Tese de Doutorado. University of Pretoria.

Publicados
2019-03-22
Cómo citar
Viñal Junior, J., Barreto Otero, A., Silva de Jesus, G., & Santana Lopes, J. (2019). Propuesta de una ruta de turismo literario en Salvador-Bahía (Brasil) con base en la obra de Jorge Amado "Bahia de todos los santos-guía de las calles y misterios&quot;. ROTUR: Revista De Ocio Y Turismo, 13(1), 51-70. https://doi.org/10.17979/rotur.2019.13.1.4001
Sección
Artículos