Transição, resiliência e praxe. Estudos na Universidade dos Açores.

Resumen

Investigou-se a resiliência em estudantes no Ensino Superior, com e sem vivência da praxe, e a relação entre resiliência e integração social. Participaram 163 estudantes do 1.º ano da Universidade dos Açores. Usou-se um questionário de dados pessoais, académicos e familiares, a Escala de Resiliência de Wagnild e Young, o Questionário de Vivências da Praxe e o Questionário de Integração Social no Ensino Superior. Os inquiridos apresentaram níveis moderados de resiliência, não sendo encontradas diferenças significativas entre os que vivenciaram e os que não vivenciaram a praxe. Constatou-se uma correlação positiva e estatisticamente significativa entre ER e QISES.

Referencias

Angst, R. (2009). Psicologia e resiliência: uma revisão de literatura. Psicologia argumento, 27(58), 253-260.

Cabral, B. M., & Mineiro, J. (2015). Desobedecer à Praxe. Porto: Deriva Editores.

Castro, R. V., & Almeida, L. S. (2016). Ser estudante no ensino superior: observatório dos percursos académicos dos estudantes da UMinho. In L. S. Almeida & R. V. de Castro, Ser estudante no ensino superior (pp.1-14). Braga: Centro de Investigação em Educação (CIEd) e Instituto de Educação, Universidade do Minho.

Connor, K.M., & Davidson, J.R. (2003). Development of a new resilience scale: the Connor-Davidson resilience scale (CD-RISC). Depression and Anxiety, 18, 76-82. http://dx.doi.org/10.1002/da.10113

Dias, D., & Sá, M. J. (2013). Rituais de transição no ensino superior português: A praxe enquanto processo de reconfiguração identitária. Revista Galego-Portuguesa de Psicoloxía e Educación, 21(1) ISSN: 1138-1663. http://ruc.udc.es/dspace/bitstream/handle/2183/12618/RGP_21_2013_art_2.pdf?sequence=1

Diniz, A. M. (2017). Questionário de integração social no ensino superior. In L S. Almeida, M. R. Simões, & M. M. Gonçalves (Coords.), Adaptação, Desenvolvimento e Sucesso Académico dos Estudantes do Ensino Superior: instrumentos de avaliação (pp. 21-32). Braga: Associação para o Desenvolvimento a Investigação em Psicologia da Educação.

Erdogan, E., Ozdogan, O., Erdogan, M. (2015). University Students’ Resilience Level: The Effect of Gender and Faculty. Procedia - Social and Behavioral Sciences 186, 1262 – 1267. www.sciencedirect.com

Gilligan, R. (2007) Adversity, resilience and the educational progress of young people in public care. Emotional and Behavioural Difficulties, 12, 135-145. http://dx.doi.org/10.1080/13632750701315631

Grotberg, E. (1995). A guide to promoting resilience in children: strengthening the human spirit. Oakland: Bernard Van Leer Foundation.

Jorge, A. M. (2008). Resiliência em estudantes do ensino superior. INFAD Revista de Psicología, 1, 261-272. http://infad.eu/RevistaINFAD/2008/n1/volumen2/INFAD_010220_261-272.pdf

Knutson, N. M., Akers, K. S., Ellis, C. K., & Bradley, K. D. (2011). Applying the rasch model to explore new college sorority and fraternity members' perceptions of hazing behavior. In Mid-Western Educational Research Association annual meeting. http://www.uky.edu/~kdbrad2/MWERA_Nikki.pdf

Oliveira, M. F., & Machado, T. S. (2011). Tradução e validação da Escala de Resiliência para Estudantes do Ensino Superior. Análise Psicológica, 29(4), 579-591.

Pidgeon, A. M., Rowe, N. F., Stapleton, P., Magyar, H. B., & Lo, B.Y. (2014). Examining Characteristics of Resilience among University Students: An International Study. Journal of Social Sciences, 2, 14-22. http://file.scirp.org/Html/51639.html

Sabouripour, F., & Rolan, S. (2015). Resilience, Optimism and Social Support among International Students. Asian Social Science, 11(15), 159-170.

http://dx.doi.org/10.5539/ass.v11n15p159

Soares, A. M., Pinheiro, M. D. R., & Canavarro, J. M. P. (2015). Transição e adaptação ao ensino superior e a demanda pelo sucesso nas instituições portuguesas. Psychologica, 58, 97-116. doi:http://dx.doi.org/10.14195/1647-8606_582_6

Vieira, P. (2013). Vivências da praxe académica: percepção de integração e ansiedade na transição para o ensino superior (Tese de Mestrado, Universidade de Coimbra, Coimbra). https://eg.sib.uc.pt/bitstream/10316/25316/1/Patricia.pdf

Wagnild, G. M., & Young, H. (1993). Development and psychometric evaluation of the resilience scale. Journal of Nursing Measuremen, 1(2), 165-178.

Wagnild, G. M., & Collins, J. A. (2009). Assessing resilience. Journal of Psychosocial Nursing, 47(12), 28-33.

Publicados
2017-12-17
Cómo citar
Caldeira, S., Silva, O., Sousa, Áurea, Mendes, M., & Martins, M. J. (2017). Transição, resiliência e praxe. Estudos na Universidade dos Açores. Revista De Estudios E Investigación En Psicología Y Educación, (14), 195-199. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.14.2906
Sección
XIV Congreso Psicopedagogía. Área 14: TRANSICIONES Y DESARROLLO A LO LARGO DE LA VIDA