Para melhor compreender as dificuldades de aprendizagem específicas na leitura

  • Paula Marisa Fortunato Vaz Instituto Politécnico de Bragança Escola Superior de Educação http://orcid.org/0000-0001-7678-6781
  • Ana Paula Loução Martins Universidade do Minho Instituto de Educação Centro de Investigação em Educação

Resumen

Este artigo tem por objetivo contribuir para a clarificação da definição de dificuldades de aprendizagem específicas (DAE) em geral e na leitura, em particular. Adicionalemnte, são apresentados resultados de um estudo quantitativo e é delineada, a partir destes resultados, uma forma de atuação face aos problemas na leitura, onde se inserem as DAE, que toma o nome de Modelo Educativo Preventivo.

Referencias

Correia, L.M. (2007). Para uma definição de dificuldades de aprendizagem específicas. Revista Brasileira de Educação Especial, 13(2), 155-172.

Correia, L.M. (2008). Dificuldades de aprendizagem específicas: Contributos para uma definição portuguesa. Porto: Porto Editora.

Correia, L.M. (2013). Inclusão e necessidades educativas especiais: Um guia para educadores e professores. Porto: Porto Editora.

Correia, L.M., & Martins, A.P.L. (1999). Dificuldades de aprendizagem: Que são? Como entendê-las? Porto: Porto Editora.

Cruz, V. (2009). Dificuldades de aprendizagem específicas. Lisboa: Lidel.

Friend, M. (2008). Special education: Contemporary perspectives for school professionals (2 ed.). Boston: Allyn & Bacon.

Fuchs, L.S., & Fuchs, D. (2007). Using cbm for progress monitoring in reading: United States Office of Special Education Program; Student Progress Monitoring.

Fuchs, L.S., & Fuchs, D. (2008). The role of assessment within the rti framework. In D. Fuchs, L. S. Fuchs & S.

Vaughn (Eds.), Response to intervention: A framework for reading educators (pp. 27-49). Newark: International reading association.

Hallahan, D., Lloyd, J., Kauffman, J., Weiss, M., & Martinez, E. (2005). Learning disabilities: Foundations, charateristics, and effective teaching. (3 ed.). Boston: Allyn & Bacon.

Joseph, J., Kimberly, N., & Guinevere, E. (2001). The neurobiological basis of reading. Journal of Learning Disabilities, 34, 566-579.

Lyon, G.R., Shaywitz, S.E., & Shaywitz, B.A. (2003). Defining dyslexia, comorbidity, teachers' knowledge of language and reading. A definition of dyslexia. Annals of Dyslexia, 53, 1-14.

Martins, A.P.L. (2006). Dificuldades de aprendizagem: Compreender o fenómeno a partir de sete estudos de caso. (Tese de Doutoramento não publicada), Universidade do Minho, Braga.

NCLD. (2001). Ld at a glance. Retrieved april 2, 2011, from National Center for Learning Disabilities Web site: http://www.ncld.org

Shaywitz, S. (2008). Vencer a dislexia: Como dar resposta às perturbações da leitura em qualquer fase da vida. Porto: Porto Editora.

Smith, D.D. (2007). Introduction to special education: Making a difference (6 ed.). Boston: Allyn & Bacon.

Vale, A.P., Sucena, A., & Viana, F. (2011). Prevalência da dislexia entre crianças do 1º ciclo do ensino básico falantes do português europeu. Revista Lusófona de Educação, 18, 45-56.

Vaz, P.M.F. (2015). Triagem universal de alunos em risco de apresentarem dificuldades de aprendizagem específicas na leitura: Um estudo quantitativo no 3º ano do 1º ciclo do ensino básico. (Tese de Doutoramento não publicada), Instituto de educação da Universidade do Minho, Braga. Retrieved from http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/38696

Publicados
2017-12-17
Cómo citar
Fortunato Vaz, P., & Loução Martins, A. (2017). Para melhor compreender as dificuldades de aprendizagem específicas na leitura. Revista De Estudios E Investigación En Psicología Y Educación, (11), 129-133. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.11.2586
Sección
XIV Congreso Psicopedagogía. Área 11: NECESIDADES EDUCATIVAS ESPECIALES