Programa de resolução de problemas no ensino secundário: PRPES

Resumen

Concretiza-se neste trabalho a fundamentação e a apresentação do Programa de Resolução de Problemas no Ensino Secundário, PRPES, desenvolvido no ano letivo 2016/2017 e aplicado em escolas portuguesas. O PRPES tem como objetivos: criar dinâmicas de trabalho colaborativo; promover a troca de experiências; estabelecer relações interpessoais e realizar atividades práticas recorrendo a estratégias de raciocínio abstrato, raciocínio numérico, raciocínio verbal, raciocínio mecânico e raciocínio espacial, regulação da cognição e conhecimento da cognição. 

Referencias

Almeida, A. C. F. (2002). Resolução de problemas: alternativas à avaliação cognitiva de alunos? Sobredotação, 3 (1), pp. 95-106.

Almeida, A. C. F. (2004). Cognição como resolução de problemas: Novos horizontes para a investigação e intervenção em Psicologia e Educação. Tese de Doutoramento. Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Coimbra

Almeida, L. S., & Lemos, G. C (2015). Bateria de Provas de Raciocínio. Caderno de Provas. Braga: Universidade do Minho.

Allevato, N. S. G. (2005). Associando o Computador à Resolução de Problemas Fechados: Análise de uma Experiência. Tese de Doutorado em Educação Matemática. Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Rio Claro.

Amaral, A. O., Almeida, L. S. & Morais, M. J. (2014). Bateria de provas de raciocínio (bpr 8/10): elementos da sua validação junto de adolescentes em moçambique. Livro de Atas do IV Seminário Internacional Cognição, Aprendizagem e Desempenho. Braga.

Andre, T. (1986). Problem solving and education. In G.D. Phye, & T. Andre (Eds.), Cognitive classroom learning Understanding, thinking and problem solving. Orlando: Academic Press, (pp. 169-204).

Bártolo-Ribeiro, R., Simões, M. R., & Almeida, L. S. (2016). Metacognitive Awarness Inventory (MAI): Adaptação e Validação da versão Portuguesa. Revista Iberoamericana de Diagnóstico y Evaluación e Avaliação Psicológica, RIDEP, 42(2), 143-159.

Borasi, R. (1986). On the nature of problems. Educational Studies in Mathematics. 17(2), 125-141.

Costa Lobo, C. (2011). Abordagem sociocognitiva do ajustamento à carreira no ensino superior: o papel das atividades em grupo, da autoeficácia e dos interesses. Tese de Doutoramento em Psicologia - Especialidade de Psicologia Vocacional. Braga: Universidade do Minho – Escola de Psicologia

Dante, L. R. (1988). Criatividade e resolução de problemas na prática educativa matemática. Tese de Livre Docência. Rio Claro: Instituto de Geociências e Ciências Exatas.

Fernandes, D., Borralho, A., & Amaro, G. (1994). Processos de Resolução de Problemas: Revisão e Análise Crítica de Investigação que Utilizou Esquemas de Codificação, In D. Fernandes, A. Borralho & G. Amaro (Eds), Resolução de Problemas: cognitivos, conceções de professores e desenvolvimento curricular. Lisboa: IIE.

Fisher, S.S. (1990). Virtuais interfaces environments. In: Laurel, B. (Ed.). The art of human-computer interface design. Massachusetts: Addison-Wesley Publishing Company.

Funke, J. (2013). Human Problem Solving in 2012. Journal of Problem Solving, 6(1), pp.02-19.

Gonçalves, J. & Martins, M. A. (2013). Percepção dos professores sobre o desenvolvimento metacognitivo dos alunos. Unidade de Investigação em Psicologia Cognitiva, do Desenvolvimento e da Educação, ISPA-IU. In Atas XII Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga: Universidade do Minho.

Hayes, S. C., Zettle, R. D., & Rosenfarb, I. (1989). Rule following. In: S. C. Hayes (Ed.), Rule-governed behavior: cognition, contingencies, and instructional control. New York: Plenum.

Jonassen, D.H. (2000). Integrating problem solving into instructional design. In R.A. Reiser & J. Dempsey (Eds.),Trends and issues in instructional design and technology. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall.

Johnson, D. W. & Johnson, R. T. (1999). Learning together and alone. Cooperative, competitive and individualistic learning (5th ed). Boston, MS: Allyin and Bacon.

Kansky, R. (1987). Problem Solving in Mathematics Education: A missing component of Teacher Education Curriculum. Proceedings of the Sino – American on Secondary Mathematics Education Seminar. Taipei, Taiwan: National Science Council of the Republic of China.

Leblanc, J. F., Proudfit, L., & Putt, J. (1980). Teaching Problem Solving in the Elementary School. In S. Krulick & r. Reys (Eds.), Problem solving in school mathematics. Reston, VA: NCTM, pp. 104-116.

Lupinacci, M. L. V. & Botin, M. L. M. (2004). Resolução de problemas no ensino de matemática. Anais do VIII Encontro Nacional de Educação Matemática, Recife.

Newell, A. & Simon, H. A. (1972). Problem Solving (pp. 87-140). In A. Newell & H., Simon (Ed.), Human Problem Solving. New Jersey: Prentice-Hall, Inc.

Onuchic, L. R; Allevato, N. S. G. (2004). Novas reflexões sobre o ensino-aprendizagem de matemática através da resolução de problemas. In: Bicudo M. A. V & Borba, M. C. (Orgs). Educação Matemática pesquisa e movimento. São Paulo: Cortez.

Ponte, J. P. (1991). Resolução de Problemas: Da Matemática às Aplicações. In Atas do 2º Encontro Nacional de Didáticas e Metodologias de Ensino. Universidade de Aveiro: Secção Autónoma da Didática e Tecnologia Educativa.

Polya, G. (1981). Mathematical discovery: on understanding, learning, and teaching problem solving: New York: John Wiley &Sons.

Quivy, R. & Campenhoudt, L. V. (2003) Manual de Investigação em Ciências Sociais, Lisboa: Gradiva.

Schraw, G., Dennison, R. S. (1994). Assessing metacognitive awareness. Contemporary Educational Psychology, 19,460-475.

Schroeder, T. L., & Lester, J. F. K. (1989). Developing Understanding in Mathematics via Problem Solving. In: Trafton, P.R., Shulte, A.P. (Ed.) New Directions for Elementary School Mathematics. NCTM.

SICAD, (2014). Programa Eu e os Outros. Manual. Porto. Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências.

Simon, A. H. (1973). The Structure of Ill Structured Problems. Artificial Intelligence.

Soares, M. T. C., & Pinto, N. B. (2001). Metodologia da Resolução de Problemas. In: 24ª Reunião ANPEd, 2001, Caxambu.

Sousa, O. M. P (2013). Aprendizagem com base na resolução de problemas através de recursos educativos digitais. Dissertação de Mestrado em Supervisão Pedagógica. Universidade Aberta, Lisboa

Toledo, M. & Toledo, M. (1997). Didática de matemática: como dois e dois: a construção da matemática. São Paulo: FTD.

Van De Walle, J. A. (2001). Elementary and Middle School Mathematics. New York: Longman

Publicado
2017-12-15
Cómo citar
Silva Quintela, B., Almeida, A. C., & Costa-Lobo, C. (2017). Programa de resolução de problemas no ensino secundário: PRPES. Revista De Estudios E Investigación En Psicología Y Educación, (02), 052-056. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.02.2625
Sección
XIV Congreso Psicopedagogía. Área 2: CONFLICTOS Y MEDIACIÓN ESCOLAR