Autoconceito, hábitos de estudo, procrastinação e rendimento escolar: que relação?

  • Maria Graça Amaro Bidarra FPCEUC http://orcid.org/0000-0001-7150-4087
  • Maria da Piedade Vaz-Rebelo Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Carlos Manuel Folgado Barreira Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Valentim Antonio Rodrigues Alferes Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Ana Catarina Cruz Pereira Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

Resumen

Na presente investigação procura-se testar o valor preditivo das variáveis autoconceito, hábitos de estudo e procrastinação na explicação do rendimento escolar, junto de alunos portugueses que frequentam o 2º ciclo do ensino básico, concluindo-se que, de acordo com as medidas adotadas, estes três preditores explicam 70% da variabilidade dos resultados escolares, sendo os hábitos de estudo o preditor mais relevante.

 

Referencias

Campira, F., Araújo, A., & Almeida, L. (2014). Autoconceito e rendimento escolar em adolescentes moçambicanos. I Seminário Internacional sobre Cognição, Aprendizagem e Rendimento, 78-87. Braga: Universidade do Minho. Instituto de Educação. Centro de Investigação em Educação.

Carvalho, A. (2011). Hábitos de estudo e a sua influência no rendimento escolar. Dissertação de Mestrado (não publicada) em Psicologia Clínica e da Saúde apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas: Universidade Fernando Pessoa.

Costa, M. (2007). Procrastinação, autorregulação e género. Tese de Mestrado em Psicologia (na área de especialização em Psicologia Escolar) apresentada ao Instituto de Educação e Psicologia: Universidade do Minho.

Lourenço, A., & Paiva, M. (2011). Rendimento académico: Influência do autoconceito e do ambiente de sala de aula. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 27 (4), 393-402.

Rosário, P., Almeida, L., & Oliveira, A. (2000). Estratégias de auto-regulação da aprendizagem, tempo de estudo e rendimento escolar : Uma investigação no ensino secundário. Psicologia : Teoria, Investigação e Prática, 2, 197-211.

Sampaio, R., Polydoro, S., & Rosário, P. (2012). Autorregulação da aprendizagem e a procrastinação acadêmica em estudantes universitários. Cadernos de Educação ,42, 119-142.

Veiga, F. (junho de 2006). Uma nova versão da escala de autoconceito - Piers-Harris Children's self-Concept Scale (PHCSCS). Psicologia e Educação , 5 (1), 39-48.

Silva, A., & Sá, I. (1997). Saber estudar e estudar para saber (2ª ed.). Porto: Porto Editora.

Publicados
2017-12-15
Cómo citar
Amaro Bidarra, M., Vaz-Rebelo, M., Folgado Barreira, C., Rodrigues Alferes, V., & Cruz Pereira, A. (2017). Autoconceito, hábitos de estudo, procrastinação e rendimento escolar: que relação?. Revista De Estudios E Investigación En Psicología Y Educación, (01), 174-175. https://doi.org/10.17979/reipe.2017.0.01.2491
Sección
XIV Congreso de Psicopedagogía. Área 1: APRENDIZAJE, MEMORIA Y MOTIVACIÓN