Paulo Freire’s Method in Environmental Education with the use of a computer application for mobile devices

  • Osilene dos S. Rocha
  • M. A. da Silva
  • M. Lopes

Abstract

The environmental problem is related to human behavior, demonstrated in the lack of awareness necessary for the preservation of nature. The main objective of this work is to verify the viability of the Paulo Freire Method in the teaching-learning practice of environmental education, through the use of a computer application in mobile devices, aiming to raise awareness about the issue of environmental preservation. The research, of a qualitative nature, used the case study. The investigation was based on the Paulo Freire Method, considering the principle of the dialogicity of the educational act. The methodology, developed through the analysis of pedagogical practices carried out in elementary school, used as a pedagogical tool computerized games. The investigation was based on the principle of the dialogicity of the educational act of Paulo Freire. The partial results con rm Rabelo’s (2011) and Silva (2007) statements by a rming that the pedagogical use of software, integrated with the dialogical dimensions of acquired knowledge through culture circles, generates the students’ socialization, transforming the conceptions of On the basis of the results, this research proposes to the educational process the Freiriano method of teaching, integrated with the use of applications for mobile devices, signaling to a renewed education and aligned with the new social contexts

References

DIEGUES, A.C.S. (1992), Desenvolvimento sustentável ou sociedades sustentáveis - da crítica dos modelos aos novos paradigmas, v. 6(1/2): n. 22– 9, p.29S. Paulo em Perspec.

FIGUEIREDO, J. (2003), Educação Ambiental Dialógica e Representações Sociais da Água em Cultura Sertaneja Nordestina: uma contribuição à consciência ambiental em Irauçuba-CE (Brasil). Tese (Doutorado em Ciências Biológicas/Ecologia/Educação Ambiental) Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlo, p. 348. São Carlos, SP.

FREIRE, Paulo (1982), Pedagogia do oprimido. 11. ed., p. 107, Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, Paulo (1987), Pedagogia do oprimido. O mundo hoje, 17. ed. v. 21, p.110, Rio de Janeiro: Paz e Terra.

FREIRE, Paulo (1996). Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. p 28. (São Paulo, SP: Paz e Terra. (Coleção Leitura).

PORTILHO, F. (2005), Sustentabilidade Ambiental, Consumo e Cidadania. 255p. São Paulo, Cortez Editora.

RIBEIRO, L. O. M. et al. (2006), Modificações em jogos digitais e seu uso potencial como tecnologia educacional para o ensino de engenharia. Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 4, n. 1, p.11, Porto Alegre: UFRGS.

ROCHA, L. A. G.; CRUZ, F. de M.; LEÃO, A. L. (2015), Aplicativo para educação ambiental. Fórum Ambiental da Alta Paulista. Periódico eletrônico. Educação Ambiental, vol. 11, n. 11, p. 4.

SANTOS, G. O. (2016), Resíduos sólidos e Aterros sanitários: em busca de um novo olhar. 80p. Recife.

SODRÉ, M. N. R.; HORA, N. N. (2014), Interface entre Educação, Ambiente e Tecnologia: Articulação na Formação de Professor. Revista Renote - Novas Tecnologias na Educação, v. 12, n. 2, p. 1-10, Porto Alegre.

Silva de Mello, Soraia e Rachel Trajber (Coordenação). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola / (2007). Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO.

Published
2018-03-16