A educação ambiental na sustentabilidade da vida em uma experiência de alfabetização de catadores

  • Dinorá de Castro Gomes Universidade de Brasilia
  • Vera Margarida Lessa Catalão Universidade de Brasilia
Palabras chave Educação Ambiental, Alfabetização de Catadores, Formação Humana, Resíduos Sólidos.

Resumo

Inserido no universo da educação ambiental este artigo apresenta uma discussão, decorrente de uma pesquisa de doutorado, sobre a contribuição da Educação Ambiental para alfabetização e formação humana junto a uma turma de trabalhadores em uma cooperativa de catadores de resíduos sólidos na cidade de Goiânia, Goiás, Brasil. A experiência buscou interfaces entre a Educação Ambiental (EA) e a Educação Popular (EP), tendo como referência a transversalidade, conforme René Barbier, e a educação libertadora, na concepção de Paulo Freire. A observação participante, a roda de conversa e as entrevistas semiestruturadas foram procedimentos utilizados para construção dos dados. A experiência ampliou o olhar em relação ao papel socioambiental dos catadores e à relevância da educação ambiental como geradora da percepção de pertencimento do catador à sociedade humana. Enfatizou o reconhecimento do catador como um profissional, de acordo com a lei 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, e favoreceu o enfrentamento do sentimento de marginalidade. Ressalta-se a importância da contribuição da EA para a efetivação de uma educação transformadora, fortalecendo os princípios da EP. Elos submersos emergiram ao articular o compromisso com as mudanças sociais e com a sustentabilidade da teia da vida em escala local e planetária.

Citas

BARBIER, René (2007): A Pesquisa-Ação. Brasília, Liber Livro Editora.

FREIRE, Paulo (1979): Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire / Paulo Freire. Tradução de Kátia de Mello e Silva; revisão técnica de Benedito Eliseu Leite Cintra. São Paulo, Cortez & Moraes.

KROPOTKIN, Piotr (2009): Ajuda Mútua: um fator de evolução. Tradução Waldyr Azevedo Jr. São Sebastião, A Senhora Editora.

MATURANA, Humberto R. e VERDEN-ZÖLLER, Gerda (2004): Amar e Brincar: fundamentos esquecidos do humano. Tradução de Humberto Mariotji e Lia Diskin. São Paulo, Palas Athenas.

MORIN, Edgar (2003): Os sete saberes necessários à educação do futuro. 8 ed.-São Paulo, Cortez; Brasília, DF, UNESCO.

MORIN, Edgar (2015) Introdução ao pensamento complexo. 5 ed. Porto Alegre, Sulina.

NICOLESCU, Basarab (2000): Um novo tipo de conhecimento-transdisciplinaridade e A prática da transdisciplinaridade. In: Educação e Transdisciplinaridade. Brasília, UNESCO.

RIBEIRO, Sérgio (2014): A transdisciplinaridade como caminho para a cooperação para a água. In: RIBEIRO, Sérgio; CATALÃO, Vera; FONTELES, Bené. Água e cooperação: reflexões, experiências e alianças em favor da vida. Brasília, Ararazul, Organização para a Paz Mundial.

SINGER, Paul (2013): Prefácio. In: LIMA, Mª Isabel R. Economia Solidária e Vínculos. São Paulo, Ideias e Letras.

SINGER, Paul (2002): Introdução à economia solidária. 1ª ed. São Paulo, Editora Fundação Perseu Abramo.

Publicado
2018-03-16
Como citar
de Castro Gomes, D., & Lessa Catalão, V. M. (2018). A educação ambiental na sustentabilidade da vida em uma experiência de alfabetização de catadores. AmbientalMENTEsustentable, 23-24(1), 297-312. https://doi.org/10.17979/ams.2017.01.023-024.3385
Sección
Educación ambiental, dimensións socioeconómicas e valorización das comunidades locais