A Perspectiva Ambiental no Projeto Político do Curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal do Piauí. Modalidade à distância

  • Karine dos Santos Universidade Federal do Piauí-UFPI
  • José Machado Moita Neto Universidade Federal do Piauí-UFPI

Abstract

A Química ocupa lugar de destaque em meio às temáticas ambientais, seja por causar alguns destes problemas, seja por criar possíveis soluções. Princípios da Química estão presentes desde os episódios de poluição ambiental registrados na década de 1950, no Japão, onde despejos de mercúrio contaminaram rios e o uso exacerbado de pesticidas foi alvo de denúncia da bióloga Rachel Carson no clássico Silent Spring. Neste sentido, a formação de um professor de Química deve privilegiar aspectos que propiciem uma consistente ética ambiental, para ao compartilhar conhecimentos químicos esse profissional seja capaz de mostrar criticamente as benesses e o poder deletério que a ciência Química pode gerar, provocando em seus alunos o compromisso ético dessa com as próximas gerações no tocante ao uso responsável dos recursos naturais e na manipulação e descarte dos produtos industrializados. Mediante o exposto, averiguamos como atual Projeto Político do Curso de Licenciatura em Química na modalidade à distância oferecido pela Universidade Federal do Piauí (UFPI vem tratando a temática ambiental, visto tratar-se de uma área estratégica para a compreensão e mitigação dos atuais problemas ambientais identificados no nosso cotidiano, bem como, o perceptível avanço da modalidade à distância (EaD) como ferramenta de acesso ao ensino superior.

References

BRASIL (2012) Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília:.

CARSON, R (1980.). Primavera silenciosa. 4 ed. Barcelona: Grijalbo,

DOMINGUES, J. J. TOCHI, M. S. OLIVEIRA, J. F (2000). A reforma do Ensino Médio: a nova formulação curricular e a realidade da escola pública. Educação & Sociedade, n. 70, p.63-79.

GUIMARÃES, S. S. M.; INFORSATO, E. C. A (2012). Percepção do Professor de Biologia e a Sua Formação: a Educação Ambiental em Questão. Ciência & Educação, v.18, n. 3, p. 737-754.

GUNN, A. M (2008). Encyclopedia of Disasters: Environmental Catastrophes and Human Tragedies. London: Greenwood Press.

LENARDÃO, E. et al (2003). “Green chemistry” – Os 12 Princípios da Química Verde e sua Inserção nas Atividades de Ensino e Pesquisa. Química Nova, v. 26, N. 1, p.123 – 129.

MATTHEWS, M. (1994) Science teaching: the role of history and philosophy of science. New York: Routledge.

MORIN, E (1986). Para Sair do Século XX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira

NASS, D. P (2012). Licenciaturas à distância em física e química no Tocantins: trajetórias, possibilidades e limites. 2012. Tese (Doutorado em Ensino de Física) - Ensino de Ciências (Física, Química e Biologia), Universityof São Paulo, São Paulo.

TRISTÃO, M. A (2004). Educação Ambiental na Formação de Professores: Redes de Saberes. São Paulo: Annablume,

UFPI – Universidade Federal do Piauí (2011). Projeto Político do Curso de Licenciatura em Química. Teresina.

Section
Environmental education, in schools and universities