A abordagem fenomenológica na investigação da percepção de professores sobre o ambiente estuarino da Baía da Babitonga, Santa Catarina, Brasil: contribuição do Programa de Educação Ambiental do Projeto Toninhas/Univille

Denise Lemke Carletto, Marcia Pereira Silva, Antonio F. S. Guerra

Resumo


O estuário da Baía da Babitonga, litoral norte de Santa Catarina, Brasil, como em outras áreas litorâneas, vem sendo constantemente ameaçada pelas atividades humanas.  A Baía da Babitonga abriga espécies ameaçadas, como a toninha (Pontoporia blainvillei), única espécie de golfinho ameaçado de extinção no Brasil, e um extenso manguezal, responsável pela grande produtividade da região (BRASIL, IBAMA, 1998). A percepção da comunidade escolar sobre a questão ambiental da baía e da espécie vem sendo estimulada pelo programa de Educação Ambiental (EA) do Projeto Toninhas/UNIVILLE que objetiva também dar visibilidade à espécie. Essa investigação almeja buscar a essência, a significação, que esta biodiversidade ambiental exerce na comunidade escolar da região, com metodologias qualitativas, por meio de uma abordagem fenomenológica que busca refletir e expressar as percepções dessa comunidade litorânea.

Palabras clave


Fenomenologia; percepção ambiental; educação ambiental; Projeto Toninhas; Baía da Babitonga.

Texto completo:

PDF

Citas


ALBUQUERQUE, Eliana C. P. T.; OLIVEIRA, Abel Dias (2005). Comunicação ambiental como suporte à pesquisa de reprodução de corais: experiência do Projeto Coral Vivo, em Porto Seguro-BA. Em Anais do Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, 3., Florianópolis, 27 a 29 nov. 2005.

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (2000). Fenomenologia: confrontos e avanços. São Paulo: Cortez.

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani; BAUMANN, Ana Paula Purcina; MOCROSKY, Luciane Ferreira (2011). Análise fenomenológica de projeto pedagógico. In: Congresso de Fenomenologia da Região Centro-oeste, 4, 19 a 21 set. 2011. Caderno de textos.... Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2014.

BRASIL. INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS (Ibama) 1998. Proteção e controle de ecossistemas costeiros: manguezal da Baía de Babitonga. (Coleção Meio Ambiente; Série Estudos Pesca; n. 25).

BRASIL. INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE (ICMBio). Planos de ação nacional. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/biodiversidade/fauna-brasileira/planos-de-acao-nacional.html. Acesso em 17 set. 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CP n.º 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17810&Itemid=866. Acesso em: 17 set. 2014.

CARLETTO, Denise Lemke; CREMER, Marta Jussara (2012). A toninha Babi e sua turma: a importância e a beleza da Baía da Babitonga. Joinville: Editora Univille.

CLARO, Lisiane Costa; PEREIRA, Vilmar Alves (2012). No horizonte da fenomenologia: entre conceitos e possibilidades, em PEREIRA, Vilmar Alves; CLARO, Lisiane Costa (Orgs.). Epistemologia e metodologia nas pesquisas em educação, pp. 73-90. Passo Fundo: Méritos.

CREMER, Marta Jussara (2007). Ecologia e conservação de populações simpátricas de pequenos cetáceos em ambiente estuarino no sul do Brasil. Tese (Doutorado)–Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

CRESPO, Enrique A. et al. (2002). Report of the working group on abundance estimates. The Latin American Journal of Aquactic Mammals, v. 1, n. 1, p. 65-66.

FREIRE, Paulo (2001). Pedagogia do oprimido. 12. ed. Rio de Janeiro: Imago.

GIL, Antonio Carlos (2010). O projeto na pesquisa fenomenológica, em seminário Internacional de Pesquisa e Estudos Qualitativos, 4., Rio Claro. Anais... Rio Claro, 2010. Disponível em:. Acesso em: 7 out. 2014.

GUERRA, Antonio Fernando Silveira e TAGLIEBER, José Erno (2007). Educação Ambiental: fundamentos, práticas e desafios, v. 1..Itajaí: Editora Univali.

HUSSERL, Edmund (2000). A ideia da fenomenologia. Tradução de Artur Mourão. São Paulo: Edições 70.

HUSSERL, Edmund (2006). Ideias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica. Tradução de Marco Suzuki. Aparecida: Ideias & Letras. (Coleção Subjetividade Contemporânea).

LANNA, Karina (2009). Ecoturismo e projetos ambientais: estudo de caso do Projeto Tamar. Revista Itinerarium, Rio de Janeiro, v. 2, p. 1-26. Disponível em: . Acesso em: 3 fev. 2015.

MANZINI, Eduardo José (2003). Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semiestruturada, em Colóquios sobre Pesquisa em Educação Especial, Londrina. Anais... Londrina: Eduel, 2003. p. 11-25.

MARIN, Andreia Aparecida (2009). A percepção no logos do mundo estético: contribuições do pensamento de Merleau-Ponty aos estudos de percepção e educação ambiental. Journal Interacções, Portugal, v. 5, n. 11. Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2014.

MERLEAU-PONTY, Maurice (1999). Fenomenologia da percepção. Tradução de Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes.

MERLEAU-PONTY, Maurice (1974). O homem e a comunicação: a prosa do mundo. Tradução de Celina Luz. Rio de Janeiro: Edições Bloch.

MONTEIRO, Sara Ferreira de Sousa (2005). Sensibilização aos pescadores da pesca de espinhel para a redução da mortalidade de aves marinhas no Brasil. Dissertação (Mestrado em Ciências das Zonas Costeiras)–Universidade de Aveiro.

PASSOS, Luiz Augusto (2010). Orientação teórico-metodológica que referencia as pesquisas com inspiração fenomenológica no GPMSE (Cuiabá/UFMT), em Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos Qualitativos, 4., Rio Claro, 9 a 11 out. 2010. Anais... KLUTH, Verilda Speridião; SANTOS, Tadeu (Orgs.). São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2014.

PASSOS, Luiz Augusto e SATO, Michèle (2002). Educação Ambiental: o currículo nas sendas da fenomenologia merleau-pontyana em SAUVÉ, Lucie; ORELLANA, Isabel; SATO, Michèle (Orgs.). Sujets choisis en éducation relative à l’environnement - D’une Amérique à l’autre. Montréal: ERE-UQAM.

PEREIRA, Vilmar; DIAS, José Roberto de Lima; LEMOS, Luciane Oliveira (2012). Caminhos epistemológicos e metodológicos, em PEREIRA, Vilmar Alves e CLARO, Lisiane Costa (Orgs.). Epistemologia e metodologia nas pesquisas em educação. Passo Fundo: Méritos, p. 11-29.

RANIERI, Leandro Penna; BARREIRA, Cristiano Roque Antunes (2010). A entrevista fenomenológica, em Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos Qualitativos, 4., Rio Claro, 9 a 11 out. 2010. Anais... KLUTH, Verilda Speridião; SANTOS, Tadeu (Orgs.). São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 7 out. 2014.

SANTA CATARINA (2011). Orientação curricular com foco no que ensinar: conceitos e conteúdos para a educação básica. Florianópolis: Secretaria de Estado da Educação/Diretoria de Educação Básica e Profissional.

SATO, Michèle (2001). Debatendo os desafios da Educação Ambiental, em CONGRESSO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PRÓ MAR DE DENTRO, 1., Rio Grande, 17 a 21 maio 2001. Anais... Rio Grande: Furg/Pró Mar de Dentro.

SATO, Michèle (2002). Educação ambiental. São Paulo: RiMa, 2002.

SICILIANO, S (1994). Review of small cetaceans and fishery interactions in coastal waters of Brazil, em International Whaling Commission. Anais…, v. 15, p. 241-250.

SOKOLOWSKI, Robert (2004). Introdução à fenomenologia. Tradução de Alfredo de Oliveira Moraes. São Paulo: Edições Loyola.

SUASSUNA, Dulce M. F. A (2005). Entre a dominação racional-legal e o carisma: o Projeto Tamar e sua intervenção em comunidades pesqueiras do litoral brasileiro. Sociedade e Estado, Brasília, v. 20, n. 3, p. 521-539, set./dez. 2005.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.




DOI: https://doi.org/10.17979/ams.2015.2.20.1614

##plugins.generic.referral.referrals##

  • ##plugins.generic.referral.all.empty##